Lendo

AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA ESTABELECER DIÁLOGO ENTRE C...

AUDIÊNCIA PÚBLICA PARA ESTABELECER DIÁLOGO ENTRE CONDEPHAAT E TEATRO OFICINA

Há três semanas atrás o Oficina descobriu que o Órgão Estadual de Defesa do Patrimônio Artístico, o CONDEPHAAT, havia autorizado em maio a construção de duas torres pela SISAN, o braço da especulação imobiliária do Grupo Silvio Santos, no entorno do Teatro já ocupado pelos artistas da Uzyna Uzona. O CONDEPHAAT inverteu a função a que se destina, defender e proteger, e pretende anunciar a morte do Oficina já que a construção soterraria a obra de arte de Lina Bardi, arquitetura que define o tipo de Teatro produzido pelo Oficina Uzyna Uzona.

Simulação das edificações autorizadas pelo CONDEPHAAT no entorno do Oficina (destacado em vermelho)

A construção eliminaria a função do JANELÃO de abertura para a cidade, matando a árvore Cezalpina plantada por Lina, que atravessa o JANELÃO, fecharia as saídas conquistadas depois de uma luta de 30 anos nos arcos romanos ao fundo e deixaria um corredor amurado como uma prisão de 1m e 80 cm. para saída de Emergência. Massacraria junto com o Oficina seu projeto de urbanização que Lina começou a riscar juntamente com o arquiteto Marcelo Suzuki e que foi projetado numa tela do Teatro Oficina no dia 24 de agosto de 1980, muito antes do próprio tombamento estadual do teatro por Azis AbSaber e João Carlos Martins, então Secretário da Cultura, com laudo técnico do artista arquiteto Flávio Império.

Projeto de 1984, de Lina Bardi e Edson Elito para o Oficina

A notícia, verdadeira declaração de guerra ao Oficina e a uma cidade já enfartada, despertou a Uzyna Uzona para uma realidade que imaginava-se superada e desde então o diretor Zé Celso publicou dois textos em seu blog e a Cia. encontrou a presidente do Condephaat, Ana Lanna em um debate promovido pelos alunos da FAU-USP.

A notícia despertou também o Deputado Estadual Paulo Rillo, que levou à Comissão de Cultura da Assembleia um pedido de convocação de Audiência Pública entre CONDEPHAAT, Oficina Uzyna Uzona e outros interessados na preservação do patrimônio histórico e artístico do Oficina, tombado em todas as esferas públicas. O pedido foi aceito por unanimidade entre os deputados de todos os partidos e a *Audiência Pública* será no dia *5 de setembro*, quinta-feira, às *14:30h*.

Nessa tarde o Oficina vai se transformar na Assembleia Estadual e a sessão estará aberta a todos. Estarão presentes todos os convocados, entre eles a Presidente do Condephaat e Zé Celso, presidente da Oficina Uzyna Uzona.

A Associação Teatro Oficina Uzyna Uzona está em plena campanha para impedir este assassinato cultural e todos estão convidados a participar dessa verdadeira Ágora dos paulistanos, em que vai se jogar o destino dessa cidade.

IÓ!