Lendo

Bacantes – grito de Carnaval pra dar um bail...

Bacantes – grito de Carnaval pra dar um baile em Penteu!

IÓ!
Com a Cidade Frevendo
Celebrando o Fogo do Delírio dos Bailes de Rua em Ensaios de Blocos y Escolas d Samba
o Teatro Oficina, depois de muitos anos,
encenará sua Ópera d Carnaval no fim de semana d Momo.

IÓ! Bacantes! IÓ Sátiros d SamPã!
Venham pra TragyComediaOrgya,
o CarroNaval d Dionísios
já está ancorado no Bixiga,
na Pista da Rua Lina Bardi – o Tatro Oficina
pros Dois Bailes Insurrecionais d Carnaval,
dias 25 y 26,
no Coração da Folia de Momo!

Caiam na folia com os paramentos de Dionísios!
Coroa d Hera, Tyrso na mão, pele d viadinho, plumas y brilhos!
Fantasiem–se: pra gingar nas BACANAIS
Venham desde já apreender as Letras
Músicas y Danças no desenrolar do Enredo

Leia o Texto da Peça Bacantes:
O Rito de Origem do Carnaval

EVOÉ!

Os ingressos à solta
Saiba mais no evento

BACANTES 2017

Depois de dois meses de sucesso em 2016, Bacantes reestreia no Teatro Oficina no calor do pré-carnaval de Sampã. Com patrocínio de manutenção de companhia da Petrobras, o rito segue em nova temporada, de 11 de fevereiro até o dia 2 de abril, sempre aos sábados e domingos, 18h, com apresentação extra dia 30 de março, 20h – aniversário de 80 anos de Zé Celso.

2017 começou quente com violentas rebeliões seguidas de chacinas em presídios, expondo o abscesso fechado do sistema carcerário brasileiro e das políticas de segurança pública nacionais. Vivemos a crise de um sistema punitivo racista, misógino e elitista, que criminaliza a pobreza e todas as instâncias de alteridade fora da falsa normalidade imposta. Nas prisões superlotadas, 40% da população carcerária não foi sequer julgada.
A posse de Donald Trump também reforçou o discurso de uma extrema direita racista, sexista e xenófoba, com as medidas assinadas em seus primeiros dias de governo – construção do muro fronteiriço com o México, restrição de entrada nos EUA de cidadãos de países em sua maioria muçulmanos, autorização de construção de oleodutos em reservas indígenas…

Ao mesmo tempo, em todo o mundo, coros bacantes – em grego, atuantes – reexistem e celebram a luta pelas liberdades e pela descriminalização dos seres humanos.
Milhões de pessoas da nova esquerda, nascida das Culturas que emergiram no Poder das Mulheres, Gays, Lésbicas, Bi, Trans, Travecas, Negras, estudantes, migrantes, os de dentro e os de fora de todas as caixas, lutadores do CORPO HUMANO, tomaram as ruas, insurgentes contra a hegemonia patriarcal, protagonista de retrocessos em escala global.
Essas mobilizações protagonizadas por Bacantes – mulheres que sabem de si – tem agora pra seu enriquecimento os chamados povos indígenas, com sua sabedoria milenar na defesa da Vida no Planeta Terra, conhecedores de uma cosmologia que nos inflama com um novo comportamento humano, em um devir-índio multinaturalista.

O rito vive a chegada de Dionyzio (Marcelo Drummond), filho de Zeus (Sergio Siviero) e da mortal Semelle (Camila Mota), em sua cidade natal, TebaSP, que não o reconhece como Deus. Trava-se o embate entre o mortal Penteu (Fred Steffen), filho de Agave (Joana Medeiros), que, através de um golpe de estado, tomou o poder do avô, o Governador Kadmos (Ricardo Bittencourt e Sergio Siviero) e tenta proibir a realização do Teatro dos Ritos Báquicos oficiados por Dionyzio e o Coro de Bacantes e Sátiros nos morros da cidade.

SERVIÇOS
Datas
Até 01/04 de 2017 – sábados e domingos. 18h

Ingressos:
R$60,00 – inteira
R$30,00 – meia entrada (estudantes, artistas, professores e pessoas acima de 60 anos)
R$20,00 (moradores do Bixiga, com comprovante de residência).
INGRESSOS ANTECIPADOS
Local: Teat®o Oficina
Rua Jaceguai, 520, Bixiga, São Paulo, SP.


O seu endereço de e-mail não será publicado.

Creampie
Anal
Threesome
Threesome
Anal
Blowjob
Threesome
Orgy
Orgy
Threesome