Lendo

Desapropriação dos terrenos envoltórios do Oficina...

Desapropriação dos terrenos envoltórios do Oficina está com a Secretaria Executiva do MINC

Ao pedido de audiência da Associação Teatro Oficina Uzyna Uzona ao Ministério da Cultura para que houvesse audiência com a ministra Anna de Holanda a fim de tratar da desapropriação dos terrenos envoltórios ao Teatro Oficina com o intuito de neles construir o Anhangabaú da Feliz Cidade, o ministério respondeu em email o seguinte:

“Prezados Senhores,

Incumbiu-me a Senhora Ministra de Estado da Cultura, Ana de Hollanda, de acusar o recebimento do e-mail e informar-lhes que essa demanda foi recebida por intermédio do ex Ministro Juca Ferreira e, que o projeto encontra-se na Secretaria Executiva deste Ministério em análise, para futuramente agendar uma reunião.

Atenciosamente,
Gabinete da Ministra – 7 de fevereiro”

O Secretário Executivo que está cuidando do assunto e deve marcar a reunião com a Ministra é Vitor Ortiz. Existe, tanto da parte do Oficina quanto do Ministério que o corte de gastos que está sendo realizado pelo governo Dilma atinja este projeto e mais amplamente a cultura. O Oficina inicia hoje uma campanha pelo Twitter pelo não corte na Cultura, visto que o atual valor do orçamento total destinado à Cultura, obtido com muita luta nos últimos anos, ainda não passa de 1%.

O projeto para o Anhangabaú da Feliz Cidade, o complexo de cultura, educação e natureza que o Oficina projeta há mais de duas décadas para ser construído nos terrenos baldios envoltórios ao Oficina, resultados da especulação imobiliária e financeira do grupo Silvio Santos, será exposto na Quadrienal de Praga em junho deste ano. A versão atual, realizada pelo escritório de arquitetura JBMC, contempla a construção da Pluriversidade Antropófaga, do Teatro de Estádio e da ocupação e resignificação dos baixos do Minhocão como Ágora do Bexiga.

Aqui algumas imagens deste projeto: