Lendo

Desapropriação nos 100 primeiros dias do governo D...

Desapropriação nos 100 primeiros dias do governo Dilma

Encerrou-se o governo Lula e o Ministério da Cultura na brilhante gestão de Gilberto Gil e Juca Ferreira.

Dentre enormes vitórias da Cultura sobre a Especulação Financeira, o Oficina realizou em 2010 as Dionisíacas, podendo levar quatro peças de seu repertório para sete capitais brasileiras, em apresentações gratuitas para mais de 1500 populares cada, em lugares estratégicos onde o povo da periferia e de todas as classes se misturou.

A coroação desse trabalho patrocinado pelo Ministério da Cultura deu-se em São Paulo, em dezembro, com as Dionisíacas realizadas no Teatro Estádio armado nos terrenos envoltórios do Oficina, pertencentes ao Grupo Silvio Santos, onde o Oficina projeta construir o Anhagabaú da Feliz Cidade e devolver ao Bexiga o ponto cosmopolita, de encontro do povo, que sempre foi sua vocação. Fotos dos espetáculos que aconteceram de 17 a 20 de dezembro podem ser encontradas no Flickr do Oficina.

O valor dos terrenos envoltórios ao Teatro Oficina, tombado como patrimônio histórico nacional em junho do ano passado, está sendo avaliado pela Caixa Econômica Federal, a pedido do Iphan, com a intenção de desapropriá-los. Este processo não pode parar por conta da renovação do ministério e do Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional que tombou o Oficina em junho de 2010. Queremos que essa desapropriação se dê nos primeiros cem dias do novo governo. E lutamos para que isso aconteça.

Estamos em completo acordo com o belo discurso da nova ministra Anna de Holanda, encontramos nas palavras proferidas por ela em sua posse, profunda identificação, e sabemos que teremos no Ministério um interlocutor à altura do trabalho intenso de criação que estamos realizando.

Aqui pode-se ler a “carta de Zé Celso enviada a Juca Ferreira”:/posts/426, nos últimos dias do governo, que evidencia a importância dessa atitude, de poder da cultura, que, ao ser tomada, definirá também o rumo da renovada e revivescente política de estado do Ministério da Cultura.

O projeto para o Anhangabaú da Feliz Cidade, elaborado pelo escritório de arquitetura JBMC, será exposto na Quadrienal de Arquitetura de Praga, em junho deste ano. Algumas imagens deste projeto podem ser vistas no “álbum de foto no site do Oficina”:http://teatroficina.uol.com.br/menus/280/photos.