Lendo

Esclarecimentos sobre o encontro com Ana de Holand...

Esclarecimentos sobre o encontro com Ana de Holanda e as matérias publicadas

Depois do encontro dos artistas com a Ministra da Cultura Ana de Holanda, na Assembleia Legislativa de São Paulo, na terça-feira, dia 11 de maio, alguns sites, colunas sociais e outros meios divulgaram – nem sempre com precisão e clareza – o que havia sido dito pelo diretor do Teatro Oficina José Celso, pela ministra e por outros participantes do encontro, ao longo da conversa pública.

Para esclarecer o que aconteceu estamos publicando aqui os textos que saíram na imprensa, reações a eles, e as réplicas dos artistas do Oficina Uzyna Uzona aos equívocos cometidos pelos jornalistas.

Fotos de Alessandro Leivas

No dia da reunião, Renato Rovai publicou um “resumo do acontecimento”:http://www.revistaforum.com.br/blog/2011/05/10/o-resumo-da-visita-de-ana-de-hollanda-a-sao-paulo/, em seu blog.

No mesmo dia 10 o portal Terra divulgou notícia que entitulou “Zé Celso Martinez bate boca com Ana de Hollanda em SP”:http://terramagazine.terra.com.br/interna/0,,OI5121745-EI6581,00-Ze+Celso+Martinez+bate+boca+com+Ana+de+Hollanda+em+SP.html, para a qual Zé celso escreveu a seguinte resposta:

ió! Portal Terra
Vocês abriram uma manchete dizendo que houve um “bate boca” entre Ana de Hollanda a
Ministra da Cultura e minha pessoa Zé Celso
Não foi bem isso
Torço para que Ana de quem gosto muito
artista que conheço há muito tempo
não perca tempo justificando-se
ou mostrando serviço

mas que junte-se a nós do Movimento Cultural de hoje,
como sugeriu Ney Piacentini
na luta pelo descongencionamento do Corte Cruel
sofrido pelo jovem Ministério da Cultura
numa ida ao Ministro da Fazenda Guido Mantega
Este é o ponto Tabú da questão.
Um Ministro da Cultura
com o histórico de vida cultural de Ana,
tem cacife para não se submeter às Razões de Estado

e lutar lado a lado com o apoio do Movimento Cultural
para que neste 2011 tão decisivo para o Brasil
não se abortem os frutos culturais que irão dinamizar o próprio Governo Dilma.
Nunca vi como ontem (10/05) na Câmara dos Deputados de São Paulo
e anteontem na noite da exposição do exitoso progama de Renato Borghi e Elcio Seixas:
“Embaixada Cultural do Teatro Brasileiro” no Teatro do Sesi, auditórios tão
entusiasmados, sedentos e potentes de uma produção cultural que se tiver os meios, irá
surprender e acordar o país.
Esta oportunidade não pode ser perdida.
O Ministro Thomas Bastos no Governo Lula recusou-se a aceitar os cortes propostos pelo
Governo, alegando que o Ministério da Justiça assim, não poderia funcionar,

Tenho certeza que nossa Presidenta Dilma vai concordar.
Lula legou a Dilma um Ministério da Cultura engatilhado para uma PRIMAVERA CULTURAL
José Celso Martinez Corrêa
com todo entusiasmo vindo da energia rebelde e criadora que estes dois dias revelaram diante da presença de Ana de Hollanda.

Ancelmo Gois publicou nota em seu “blog”:http://oglobo.globo.com/rio/ancelmo/ interpretando equivocadamente a atitude do diretor da Uzyna Uzona como carga sobre a ministra:

“Pessoal do Juca…

A leitura que se faz em Brasília é que o diretor José Celso Martinez Corrêa, um dos que fazem carga contra Ana de Hollanda, é muito próximo do ex-ministro Juca Ferreira, também visto no Planalto como integrante da campanha contra a ministra.

Apoio…

O MinC, na gestão anterior, teria desembolsado uns R$ 12 milhões para apoiar projetos teatrais do consagrado diretor.
*A essa nota a atriz e estrategista do Oficina, Camila Mota, responde:*

“A Associação Teatro Oficina Uzyna Uzona não faz parte de um grupo conspiratório para derrubar a Ministra Ana de Holanda.

Nota da coluna de Ancelmo Góis no Globo de hoje, 12 de maio, sugere que Zé Celso é ligado à Juca Ferreira e integrante da campanha contra a Ministra, e ainda afirma que a gestão anterior do MinC desembolsou uns 12 milhões para apoiar projetos teatrais da cia.

É sórdida a campanha da imprensa para derrubar Ana de Holanda.

Antes de participarmos do encontro da Ministra com produtores culturais na terça feira na Assembléia Legislativa, na casa de Zé Celso lemos a cobertura dessa novela nos jornais, que se utilizam de qualquer pretexto para atacar Ana, criando polêmicas e indignações.

Um dos casos mais ridículos é a manchete revelando que sobrinha da ministra foi autorizada a captar R$1.900.000,00 para turnê pelo Brasil.

Bebel Gilberto deve ser proibida de captar dinheiro pelo Ministério?

A cobertura jornalística nos inspirou a ir para o encontro dispostos a apoiar Ana de Holanda, a apoiar a Ministra da Cultura do Brasil num momento grandioso do país, de crescimento econômico e que precisa também de crescimento cultural que vertiginosamente acompanhe a ascensão de povo brasileiro.

A cia que existe desde 1958 sempre tocou em tabus. Nesse momento, sem nenhuma verba pública, nem privada, estamos encenando um espetáculo a partir do Manifesto Antropófago de Oswald de Andrade.

A fala de Zé Celso na Assembléia foi interpretada pela imprensa como bate boca, graves ataques, e agora nos colocam em grupos conspiratórios para derrubar a Ministra.

O momento é muito complexo, e acreditamos que e um apoio ao Ministério da Cultura do Brasil nesse momento glorioso do país, não pode ser blindado, não pode ser um apoio personalista, e principalmente, esse apoio pode e deve ter contradições.

Existem insatisfações com a atual gestão? Sim.

E a partir daí, o que fazemos?

Como os artistas, os produtores de cultura e o público podem participar dessa transição?

Existe uma mudança concreta nas políticas?

O movimento fica Juca era concretamente pela continuidade das políticas e das conquistas da gestão anterior.

O gestão Ana deve superar a anterior e para isso deve, sim, levar em consideração as duras críticas.

Mas daí a imprensa utilizar qualquer manifestação pública pra criação de dramaturgia conspiratória… Sinistro…

Ano passado fomos apoiados, sim, pelo Ministério da Cultura.

Recebemos, através de convênio com o MINC, R$7.452.920,00 para o projeto Dionizyacas em Viagem, onde montamos teatros de estádio em Brasília, Salvador, Recife, Belém, Manaus, Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo para 2000 pessoas, com ingressos gratuitos, além da continuidade do trabalho do Movimento Bixigão em São Paulo na sede da Cia, e de uma experiência de uma semana ensaiando em Inhotim e criando um espetáculo inédito, a Macumba Antropófaga. Ao todo éramos 61 pessoas viajando, mais 28 no Teatro Oficina SP, além de todas as pessoas locais contratadas. Em cada cidade ficamos aproximadamente 15 dias, pois além dos quatro espetáculos gratuitos do repertório, realizamos oficinas gratuitas de todas as artes que compõe nossas encenações: atuação, direção, música, vídeo, luz, sonoplastia, figurino, arquitetura cênica, produção, divulgação, e transmissão e difusão. Os espetáculos também foram gratuitamente transmitidos pela internet. Em muitos estados nós montamos nosso estádio em periferias, o que possibilitou a maravilhos mistura de público, muito necessária e saudável para a cultura.

Através de convênio também recebemos R$ 200.000,00 da Secretaria do Audiovisual para a finalização do documentário Ardor Irresistível, de Ava Rocha, sobre a ida da companhia com os 5 espetáculos dos Sertões para o sertão de Quixeramobim e Canudos.

E, por fim, através da Lei de Incentivo, R$1.200.000,00 da Petrobrás. Uma parte dessa verba é para o projeto Cortinas Lyricas, que está em cartaz no Teatro Oficina todos os sábados e domingos com música erudita, cobrando ingressos a R$1,00 e a outra parte para a finalização de 4 filmes realizados a partir das peças realizadas no ano do cinquentenário da cia, 2008: Vento Forte pra um Papagaio Subir, Cypriano & Chantalan, Taniko e Bandidos.

O valor total, somados os investimentos direto do governo e de empresas, é R$ 8.852.920,00 para 5 filmes, 38 recitais de música erudita, 32 espetáculos para multidões, todos transmitidos pela internet e oficinas para mais de 1000 pessoas.

Segundo a coluna, nós recebemos uns R$ 12.000.000,00.

Agora a Cia. está sem nenhum incentivo, a multidão que trabalhou em 2010 se dispersou e apenas um pequeno grupo resistente trabalha diariamente. Os R$ 3.147.080,00 que é a quantia que falta nessa conta de 12 milhões, estão fazendo falta…”

Se quiser comentar visite a matéria em nosso “blog”:http://blog.teatroficina.com.br/?p=2769