Iphan tomba Teatro Oficina

Neste dia de São João, o Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) levou a cabo um processo que tramitava há oito anos e tombou o Teatro Oficina reconhecendo-o como patrimônio nacional que deve ser preservado e protegido.

A cerimônia de votos dos conselheiros aconteceu no Rio de Janeiro, à tarde, e contou com a presença de José Celso Martinez Corrrêa, diretor da Cia. Uzyna Uzona e artistas e produtores do grupo.

O tombamento vem reforçar a importância da proteção à obra de arte de Lina Bo Bardi, ameaçada em seu entorno pela especulação imobiliária praticada pelo grupo Silvio Santos e soma-se a um longo processo de luta de mais de 30 anos para a construção de um projeto cultural de amplas dimensões, hoje chamado Anhangabaú da Feliz Cidade, para o bairro do Bexiga, aonde está o Oficina, desde 1961.

A Companhia está atualmente em Salvador, realizando as “Dionisíacas 2010”:/headlines/38, e atravessa esta noite histórica para o grupo iluminada pelas fogueiras e ao som dos fogos de artifício pela cidade, peparando a estreia de Taniko, às 20h de amanhã, no “Teatro de Extádio”:/headlines/39 armado na UFBA, no campus de Ondina.

Abaixo pode ser lido o ofício do Iphan dando conta do tombamento, para ampliar clique: