Céu d’astros | Luana Della Crist

Bafo d quinta de hoje,

estrêla  Luana Della Crist

traço luminoso na galáxia do tyazo Uzyna Uzona:

É o que é!

Luana Della Crist é mulhermãe, atriz e iluminadora, “virada no Saci” como gosta de dizer!

Chegou no Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona na peça Cacilda !!!!! para tomar parte da constelação diretora dos chifres de arianos que compõem o Tyazo. Desde aí tomou posse na forma de um ser tentacular que atravessou as peças: Walmor y Cacilda 64,O Robogolpe, o Banquete, Pra dar um fim no juízo de Deus, Mistérios Gozosos, Navalha na Carne, Paranoia e Bacantes;montagens onde transborda um gesto provocativo de articular e antropofagiar os saberes da atuação e da iluminação.

Faz parte do coro criador da luz do Teat(r)o que trabalha as intensidades dos bailes que cruzam a rua Lina Bardi. Numa iluminação que é conduzida pela força da ação e dos estados dos corpos e das falas possuídas pelas surpresas das contracenações políticas de cada dia. Experimenta, por isso, o desejo íntimo de criar seguindo a descoberta que é uma transparência com o modo de ser do tyazo e por isso faz-se num exercício cênico de constante conectividade com o presente.

Neste palco de muitas cabeças compõe parte do gesto no ardor irresistível que se abre para o cosmos que apaixonado é capaz de metamorfosear a percepção do mundo.

 

NO ÍNICIO ERA A CANTADA!

“Assim fala Jesus das Comidas na era do pré gênesis, do pré mundo, e assim também se parte para a descoberta. Não para a descoberta de algo novo, nunca antes sonhado, mas de alguma coisa que nos visita pela primeira vez de dentro de nossa própria casa. Aquele acaso de tropeçar em algo que sempre existiu mas só agora nos revela a sua massa afetiva. A cantata é a ação e reação gerada por essa interface de vozes. Nada de preconceitos. Nada de ideias. Apenas o despertar para um outro tipo de relação.

O primeiro contágio lá no teat(r)o Oficina com a luz começou nesse timbre misto de queda com espanto. Foi na espera pelos primeiros ensaios de Mistérios Gozosos, quando ainda sobrava pelo espaço pedaços de outras eras de Cacilda; de Banquete, de Pra Dar um fim no Juízo de Deus, quando o coro de corpos ansiosos acolhia os membros da segunda dentição da Universidade Antropofaga; foi aí que se deu o embate concreto entre a visão pragmática e as utopias. Continuidade ou quebra?

Experiência ou novidade? Impulso ou precaução? Arte ou loucura?. Um objetivo próximo e um outro distante. Um de uma pequenina absoluta, outro de uma grandeza absoluta. Ambos incertos. Aos poucos a escolha foi ficando clara. Uma explosão. Uma decisão de implodir tudo o que estava posto e pré-determinado. E a luz dos Mistérios Gozosos começou com esse grito de queda. Todos os refletores do teatro Oficina tombaram para virarem folha viva do instinto imaginado sob os bordões do olhar, das melodias de fogo que encantam a noite

Resolvemos invadir o teatro, tomar de assalto os refletores, extensões, tomadas, tudo aquilo que estivesse relacionado com luz e energia elétrica. Despimos o templo – despertar maquiavélico de uma mente inquieta. Depois, cuidadosamente, um a um, tratamos os elementos do cosmos que constituem a iluminação a haver com o carinho que merecem. À medida que iam avançando esses trabalhos, as paredes, as estruturas metálicas, o chão e o teto tornavam-se cada vez mais familiares. Misturavam-se gentes e mãos. Os dias se acumulavam uns em cima dos outros. Lentamente as tarefas de arquivista iam-se concluindo e o cansaço parecia algo doce, quase tântrico.

Certa vez, um certo louco conspirou a paixão de reconhecer um por um, todos os pontos energéticos do teatro, mesmo os mais escondidos, e organizá-los numa cartografia da luz. Outro dia, ela com sua louca implicância determinou que todos os cabos de energia deveriam ser medidos na absoluta certeza do rigor da economia da distância. Mas sempre éramos maníacos viciados em virar do avesso lâmpadas carcaças, distância, foco e lentes com a alegria de despertar as coisas do silêncio em que foram criadas.”

 

Sampã – Teat(r)o Oficina – Mistérios Gozosos

(Trecho de Rizomas da luz, blog dos causos da luz do Oficina.)

http://rizomasdaluz.blogspot.com.br/


RELATED POST

COMMENTS ARE OFF THIS POST