Manifesto Ágora

O Teatro Oficina como obra de arte urbana concebida por Lina Bardi para atender os desejos e necessidades estéticas dos movimentos culturais que aqui são realizados, deseja a continuação e expansão de seus trabalhos que contam com mais de 40 anos de história.

Para alcançar esse objetivo necessitamos do apoio popular para a contemplação do projeto de Lina que enxergou este espaço como uma pista-rua, atravessando o beco sem saída do fundo norte do teatro, com saída para uma praça pública, o Teatro de Estádio, uma verdadeira Àgora Grega.

Não acreditamos na promessa de revitalização deste bairro com a construção de mega-empreendimentos que o trasnformarão num bairro utilitário, sem que os seus problemas sejam tratados.

Queremos combater os efeitos da especulação imobiliária que aqui se instalou há mais de vinte anos, com a fetilização desta terra através de produções artísticas e trabalhos sociais.

Por isso, convidamos o Grupo Silvio Santos a uma união de forças, mas caso não seja possível, sugerimos a construção do shopping-center de entretenimento numa região que não seja considerada patrimônio histórico como é o Teatro Oficina e o Bixiga.

MANIFESTO

O Bairro do Bexiga possui uma importância histórica e cultural fundamental dentro da cidade de São Paulo. Para nós, artistas de Teatro,representa o epicentro do Teatro brasileiro moderno.

É no Bexiga que, historicamente, existe a maior concentração de salas de Teatro, desde as que abrigam os grandes espetáculos até as mais experimentais. Desde o TBC, berço que acolheu o início da nossa modernidade, até o Teatro Oficina que é responsável por algumas das nossas principais inovações cênicas.

É portanto com alegria que recebemos a disposição do poderoso grupo Silvio Santos em investir na área Teatral, sobretudo neste nosso reduto tradicional. Contudo, é com tristeza que constatamos que esta iniciativa compromete definitivamente a memória do nosso Teatro ao descaracterizar o espaço do Teatro Oficina, apesar de tombado pelo Condephaat.

O projeto proposto pelo grupo Silvio Santos destrói completamente a viabilização do projeto da arquiteta Lina Bo Bardi, configurado pelos arquitetos Paulo Mendes da Rocha e Edson Elito, para a ampliação da ação cultural do Teatro Oficina, confinando-o a um beco sem saída.

Acreditamos numa adequação desses projetos, capaz de sintonizar a bem vinda integração do grupo Silvio Santos na área teatral com manutenção de elementos do entorno do projeto do arquiteto Paulo Mendes da Rocha, preservando a memória cultural da nossa cidade e do nosso país e garantindo assim condições para que o Oficina continue sua ação inovadora e norteadora de nosso Teatro.

Nós, abaixo assinados, apelamos à magnanimidade e ao espírito público do Sr. Silvio Santos para que entre em acordo com os artistas brasileiros visando a preservação e ampliação de um dos principais símbolos inovadores de nosso Teatro.

Assine o Manifesto enviando um e-mail com o título
“Projeto Ágora” para: manifesto@teatroficina.com.br