Minc visita Uzyna Uzona

Na sexta-feira, dia 15 de abril, o secretário executivo do Ministério da Cultura, Victor Ortiz, acompanhado de Anna Beatriz Galvão, superintendente paulista do Instituto do Patrmônio Histórico e Artístico Nacional, o IPHAN, visitou a Uzyna Uzona no Teatro Oficina para tratar dos planos da Companhia para os próximos anos.

Com o superobjetivo de construir o Anhangabaú da Feliz Cidade no entorno do Teatro Oficina tombado como patrimônio histórico nacional em 2010, a Cia. solicitou a reunião com o Ministério e com a ministra Anna de Holanda. O primeiro pedido foi atendido, já a reunião com a ministra, “solicitada desde 11 de janeiro”:http://teatroficina.uol.com.br/menus/45/posts/435, ainda não aconteceu.

O principal assunto da reunião foi a construção do “Anhangabaú da Feliz Cidade”:http://teatroficina.uol.com.br/teatro_estadio. O complexo de cultura e natureza, que prevê a construção da Universidade Antropófaga, do Teatro de Estádio e da Oficina de Florestas para a revivescência do bairro do Bexiga, pode ser construído a partir da desapropriação da área envoltória do Teatro, hoje pertencente ao grupo Silvio Santos, que a emprestou ao Oficina no início do ano para as “Dionisíacas”:http://maps.google.com/maps/ms?ie=UTF8&hl=en&t=h&msa=0&msid=110039415545149886256.00048635364b820f788a6&ll=-19.311143,-44.296875&spn=115.392742,147.304688&z=2&source=embed, realizadas para 2000 pessoas.

Ortiz se mostrou disposto a buscar a união das forças do município de São Paulo, do Estado e do Governo Federal para realizar a desapropriação, e convocou o início de um grupo de estudo entre pessoas do governo federal que possam articular o ato da compra dos terrenos, que já tem o valor calculado pela Caixa Econômica Federal.

Foi apresentado o projeto para o complexo em realização pelo escritório de arquitetura JBMC. Estavam presentes na reunião os arquitetos João Batista e Ana Beatriz que apresentaram 9 pranchas com maquetes tridimensionais e plantas baixas do projeto que terá apresentação pública na “Quadrienal de Arquitetura de Praga”:http://www.pq.cz/en/architecture.html, em junho próximo.

*Para ver as pranchas ampliadas clique na imagem*:

Outro assunto tratado foi a realização de novo convênio entre o Oficina e o Ministério.

Em 2010 o Ministério da Cultura apoiou o Oficina para as Dionisíacas em Viagem, o que garantiu turnê nacional por oito capitais, apresentando quatro espetáculos gratuitos, para 2000 pessoas cada, com transmissão ao vivo pela internet e realização de oficinas uzynas uzonas em todas as cidades. Esse apoio, dado através de convênio, e não de renúncia fiscal, é um dos instrumentos com que o ministério tem conseguido fazer da política cultural uma ação de estado, e não de governo. Embora estejam previstos cortes altos nos orçamentos dos ministérios brasileiros, que em alguns casos chegam a 50% do valor do ano de 2010, o Oficina defende que, assim como a educação e o PAC, o orçamento da cultura continue crescendo, de forma a não haver retrocesso no caminho do reconhecimento de sua importância como infraestrutura.

O Oficina vai solicitar ao ministério a continuação do convênio para apoiar em 2011 a realização das Dionisíacas Urbanas Antropófagas, com as montagens teatrais e transversões do “Manifesto Antropófago”:http://teatroficina.uol.com.br/menus/45/posts/452, adaptação atualmente trabalhada pelo grupo, de Acordes, de Brecht texto que inspira o estatuto da Uzyna Uzona e Cacilda!!! – TBC a continuação da jornada de Cacilda Becker pelo labirinto da criação, dessa vez no Teatro Brasileiro de Comédia.