Gardner Minshew II Jersey Daniel Jones Womens Jersey  O Banquete de Platão virado Bori de Pratão a Eros – Teat(r)o Oficina
Lendo

O Banquete de Platão virado Bori de Pratão a Eros...

O Banquete de Platão virado Bori de Pratão a Eros

Na segunda fogueira de Junho 

dia 24

noite de São João

entre as noites mais longas do ano

estréia O Banquete,

diálogo de Platão

encenado pelo Teatro Oficina Uzyna Uzona

que o prepara desde alguns meses atrás
para virar Bori
de Pratão
oferecido a Eros.
A transversão do texto
por José Celso
começou em março
depois do convite do festival Queer, em Zagreb na Croácia
para onde foram seis integrantes do grupo
realizar com sérvios e croatas “Gozba”, o Banquete
em ensaio aberto no dia 10 de maio.
O trabalho lá
tornou-se missão
de descatequização
“a mensagem toda do espetáculo foi formada durante os ensaios, com os atores, seguindo suas emoções e reações. Nos olhos deles e nas palavras explicitadas eu pude reconhecer o medo, relacionado à homofobia, na sociedade croata, que hoje ocupa o lugar que era do nazismo e do stalinismo.”
disse o diretor a jornal croata.
Depois o grupo partiu para a Grécia
e abriu caminhos para a realização das Bacantes
no teatro de Epidauro em 2010.
Ao voltar
Zé Celso trabalhou mais sobre o texto e
desde o dia 04 de junho,
depois de quatro leituras,
o grupo levanta a encenação,
trabalhando principalmente sobre
a interpretação do texto tornado “phala”
em versos musicados.
A pista do Oficina vai transformar-se em chão de camas
para o encontro dos banqueteiros que
reunidos na casa do poeta Agatão,
recém chegado da vitória com Bacantes nas Dionísiacas,
mas ainda na ressaca do banquete anterior,
decidem por outro jogo: dar a Eros, cada um, um canto – e assim beber menos.
Entre eles estão personagens históricas de 2500 anos atrás,
o poeta Agatão feito por Marcelo Drummond,
Aristófanes, o comediógrafo de As Nuvens, interpretado por Sylvia Prado,
o médico Erixímaco, por Rodrigo Andreolli, a filósofa Diotima por Camila Mota,
Sócrates, personagem principal através da qual Platão constrói todos seus diálogos, interpretado por José Celso,
Heráclito, o filósofo,
e personagens da mitologia grega, que originalmente surgem apenas nos discursos proferidos
mas estão incorporados na versão do Oficina:
Orpheu e Eurídice em seu caminho para o Hades;
os Andróginos que partidos pelo raio de Zeus tornam-se homem e mulher
na encenação ritual do mito de surgimento dos gêneros a partir dos transgêneros;
e Eros, nascido do pai Poros e da mãe Penia, a Necessidade, cujo parto é encenado;
além de Jesus e Iemanjá.
O Banquete é um dos mais de trinta diálogos filosóficos escritos por Platão no século V a.c.
e hoje considerados obras seminais do pensamento ocidental,
estudados diariamente por filósofos e fundamentais na formação das teorias da psicanálise.
Em todos eles, Sócrates, fundador da academia peripatética, que em vida fora o mestre de Platão,
aparece como interlocutor preferido das personagens.
O Bori de Pratão é oferecido a Eros,
ao amor, de qualquer tipo

“Muitas pessoas hoje fazem guerra contra o amor, mas nós estamos lutando pelo amor. E não precisamos de armas para isso, nossas armas são música e poesia. Amor, assim como teatro, dá poder, cultiva a vida, e necessitamos, a todo tempo, poesia, como ar.”
e vai se realizar apenas nas seguintes datas:

 

primeira temporada
24 de junho de 2009, 21:00h – estréia
26 de junho de 2009, 21:00h
27 de junho de 2009, 21:00h
e 28 de junho de 2009, 19:00h – temporada

 

NOVA CURTA TEMPORADA A PARTIR DE 11 DE JULHO DE 2009
de 11 de julho a 16 de agosto
sábados 21:00h
domingos 19:00h

 

tempo estimado de duração: 4 horas
ingresso : R$40,00 inteira R$20,00 meia
com direito aos comes do Banquete
o vinho custará R$5,00 e deverá ter fichas compradas com antecedência na bilheteria
Os ingressos já estão a venda na Casa de Produção do Teatro Oficina
tratar com Vanessa Tomaz nos tels. 11 31040678 / 31065300

+ informações sobre O Banquete no blog


Mitch Wishnowsky Womens Jersey