A poética vertiginosa criada por Plínio Marcos em uma de suas obras mais conhecidas volta a ganhar vida no Teat(r)o Oficina, quando Marcelo Drummond (Vado), Sylvia Prado (Neusa Sueli) e Tony Reis (Veludo) se emaranham mais uma vez na teia de relações claustrofóbicas de Navalha na Carne. A desmontagem dirigida por Marcelo Drummond volta em cartaz por apenas duas semanas, numa curta temporada que acontece de 07 a 15 de maio de 2016, sempre aos sábados (21h) e domingos (20h).  

 

Marcelo Drummond é Vado, gigolô violento e sarcástico; Sylvia Prado é Neusa Sueli, prostituta decadente e explorada por Vado; Tony Reis é Veludo, homossexual que trabalha como faxineiro. Juntos num pequeno quarto, eles criam um microuniverso guiado por uma contínua disputa de domínio do poder. Assim, estabelecem um jogo onde misturam sedução, força física, humilhação e sarcasmo em diálogos carregados da força que tornou Plínio Marcos uma referência no Teatro nacional.

 

Navalha na carne é uma das obras mais encenada do dramaturgo e é considerada por muitos sua obra-prima. Nessa desmontagem de Marcelo Drummond, o jogo cênico contundente entre os três atores revela almas sangradas pela solidão e pelas dores de cada personagem; mas revela também o silêncio e a precisão dramatúrgica da poesia de Plínio, para muito além do estigma de autor de textos desbocados e cheios de fúria. Tudo isso reforçado pela presença do vídeo, da luz, do cenário e do som, tão presentes quanto a violência cotidiana das relações humanas vivida em cena.

 

Navalha na Carne tem direção de cena de Otto Barros, iluminação de Luana Della Crist, arquitetura cênica de Marília Gallmeister e Carila Marzenbacher, figurino de Vera Valdez, maquiagem de Diogo Souza e vídeos de Igor Marotti Dumont e Pedro Salin. Estreou sua primeira versão no início de outubro de 2015, dentro do projeto Plínio Marcos 80 anos, com curadoria de Silvio Guindane para o SESI-SP, quando fez quatro sessões com ingressos esgotados. Depois seguiu para temporadas no Teat(r)o Oficina, para onde volta mais uma vez redimensionando o grande espaço do teatro para um público de apenas 70 pessoas por noite.

 

 

NAVALHA NA CARNE

Direção: Marcelo Drummond.

Elenco: Marcelo Drummond, Sylvia Prado e Tony Reis.

Data: Dias 07, 08, 14 e 15 de maio de 2016.

Horários: Sábados, às 21h, e domingos, às 20h.

Local: Teat(r)o Oficina (Rua Jaceguai, 520. Tel: 11. 3106-2818).

Ingressos: R$40,00 (inteira), R$20,00 (meia) e R$10,00 (moradores do Bixiga). Compras na bilheteria do teatro (uma hora antes de cada sessão), ou na Compre Ingressos.

Indicação etária: 16 anos.

Duração: 60 minutos.

Lotação: 70 pessoas.

Transmissão ao vivo pelo site www.teatroficina.com.br.

 

NOTA PARA ROTEIRO

Navalha na Carne – Marcelo Drummond é Vado, gigolô violento e sarcástico; Sylvia Prado é Neusa Sueli, prostituta decadente e explorada por Vado; Tony Reis é Veludo, homossexual que trabalha como faxineiro. Juntos num pequeno quarto, eles criam uma teia de relações interdependentes e claustrofóbicas, numa desmontagem de Navalha na Carne dirigida pelo próprio Drummond. A peça redimensiona o grande espaço do Teat(r)o Oficina para um público de apenas 70 pessoas por noite, quando os três atuadores da Companhia Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona se entregam de corpo e alma ao universo criado por Plínio Marcos. A curta temporada acontece de 07 a 15 de maio de 2016, sempre aos sábados (21h) e domingos (20h).