[:pb]Fundada em 1958, a companhia Teat(r)o Oficina atravessou décadas sempre se transformando a partir do tempo presente, tanto esteticamente quanto nos modelos de financiamento de cada era. Os anos 60 se caracterizaram por muito público e espetáculos de terça a domingo, onde a bilheteria era a principal fonte de financiamento de artistas e espetáculos. Esse ciclo foi interrompido pela ditadura militar que praticamente criminalizou a arte teatral. A companhia foi obrigada a exilar-se na Europa e África e na volta ao Brasil, encontrou uma situação completamente diferente para a arte teatral.  Sem patrocínio e com muita garra, foram feitas muitas peças que, embora excelentes, deixavam a desejar possibilidades técnicas e tecnológicas.

Em 2005, o Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona iniciou uma parceria permanente com a Petrobras, responsável pelo patrocínio de manutenção da sede e do núcleo artístico da Companhia. Com o patrocínio a companhia pôde, além de investir em equipamentos, cenários e figurinos para as montagens, investir também no equipamento principal do teatro: o ator, dando condições mínimas pra se dedicar ao teatro numa companhia permanente.

Em 2015, para comemorar uma década de patrocínio, o projeto realizado foi Oswaldianas – Teato na Cidade Seca sobre Rios, que consistia em três troncos principais: manutenção do espaço, manutenção do núcleo artístico da companhia e montagem do rito-espetáculo Mistérios Gozosos, a partir do poema O Santeiro do Mangue,  de Oswald de Andrade, com dramaturgia de Zé Celso e Catherine Hirsch.

Os mistérios do prazer são ações político-afetivas urgentes numa época de crise em que a tensão, a ansiedade e a depressão tomam conta de tudo. Para atravessá-las, é necessária a busca úmida, uma atitude TragiCômica Orgiástica, sem ignorar nem por uma fração de minuto, a gravidade da situação. As Crises precisam de Humor, Amor y Muito Mais para se resolver os problemas na raiz e com antenas muito ligadas.

 

3ª DENTIÇÃO – 2016 – FORMAÇÃO DE MESTRES

O projeto da Companhia Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona em 2016, em parceria com a Petrobras, ainda na fase de contratação, é a manutenção de sua sede e do núcleo transdisciplinar que atua neste espaço, num trabalho indissociável entre arquitetura e atuação.

A terceira dentição da Universidade Antropófaga tem o objetivo de atuar nesse espaço e refinar técnicas de atuação, dança, canto, artes visuais, vídeo, figurino, direção, arquitetura e urbanismo cênico, política, comunicação, filosofia, com a antropofagia como uma das linhas condutoras de pensamento e sua atuação concreta nas catástrofes do antropoceno.

Após as duas primeiras dentições da Universidade, em que realizamos abertura de chamada pública, e dos núcleos de extensão do pensamento antropófago transdisciplinar – Convênio exemplar, X Bienal de Arquitetura e Terreyro Coreográfico – o trabalho evoluiu e na terceira não abriremos novas vagas. O corpo docente e dicente será composto com o time da companhia, formado por integrantes que há muito tempo atuam no grupo e por membros que vieram das chamadas públicas da primeira e segunda dentição. Esse projeto será focado em desenvolver nosso trabalho, como sempre fazemos, mas também em aprimorar nossa prática de transmissão de conhecimento, um mestrado, onde os artistas, além de desenvolverem a linha estética da companhia, desenvolvem  também a capacidade de transmitir esse conhecimento.

O valor total do contrato de patrocínio será de R$800.000,00 (oitocentos mil reais).

Todos os trabalhos previstos para serem realizados com o financiamento da Petrobras se estenderão por seis meses do ano de 2016, de junho a dezembro e incluem:

1) Manutenção da sede da companhia

duração 6 meses

valor total: R$124.500,00

– recuperação de figurinos, objetos de cena e da arquitetura cênica do repertório que estão danificados;

– limpeza, manutenção e recuperação de parte dos equipamentos;

– reparos estruturais da sede;

– locação dos espaços de produção e depósitos e contas de consumo.

2) Manutenção do núcleo do corpo artístico da companhia, formado por 40 pessoas  duração 6 meses

valor total: R$589.290,00

– realizar treinos e estudos diários de corpo, voz e contracenação com as câmeras TV Uzyna, para desenvolvimento e continuidade da linguagem da companhia;

– criar estúdios de experimentações técnicas de atuação, interpretação, dança, música, arquitetura cênica, vídeo, iluminação, figurino, desenho e engenharia de som e sonoplastia;

– assessoria de imprensa e desenvolvimento de estratégia de divulgação do teatro e do repertório;

– formatação de projetos;

– planejamento geral, mapeamento da produção do ano e captação de recursos

3) Seminários, atividades abertas ao público, publicações

duração 6 meses

valor total: R$ 86.210,00

– realização de 8 Seminários – encontros rituais para a troca de conhecimentos de todos os saberes da arte teat(r)al inspirada pela Antropofagia. A curadoria dos temas e mestres dos Seminários também estará vinculada à preparação e a montagem em andamento da companhia e será feita por cada área da Universidade Antropófaga, resultando em oito Seminários nas áreas de: atuação; arquitetura e urbanismo cênico; musica; iluminação; desenho e engenharia de som e sonoplastia; audiovisual; direção de cena e comunicação.

– publicação de nova edição do jornal A Bigorna, com o conteúdo gerado nos seminários, com tiragem de 1000 exemplares com distribuição gratuita em escolas, bibliotecas, companhias de teatro, núcleos de estudo.

 

As seguintes obras e projetos foram realizadas com a chancela Petrobras apresenta:

. 2005 – OS SERTÕES – A Luta I; da obra de Euclides da Cunha

. 2006 – OS SERTÕES – A Luta II; da obra de Euclides da Cunha

. 2007 – OS SERTÕES – temporada popular das 5 peças em São Paulo, Salvador,

  Recife, Rio de Janeiro e Canudos: A Terra, O Homem I – do pré-homem à

  revolta, O Homem II – da revolta ao trans-homem, A Luta I, A Luta II; gravação        

  das 5 peças e lançamento em DVD;

. 2008 – Os Bandidos, de Schiller;

. 2009 – Cacilda!! – Estrela Brazyleira a Vagar, de Zé Celso;

. 2010 – montagem dos DVDs da caixa comemorativa dos 50 anos da Companhia: Os

  Bandidos, Cypriano y Chantalan, Vento Forte para um Papagaio Subir, Taniko;

. 2011 – Macumba Antropófaga de Zé Celso (baseado no Manifesto Antropófago de

  Oswald de Andrade);

. 2012 – Acordes; de Bertolt Brecht

. 2013 – Cacilda!!! Glória no TBC e 68 AquiAgora; de Zé Celso

. 2014 – Cacilda!!!!! – A Rainha Decapitada, de Zé Celso

. 2015 – Oswaldianas – Teato na Cidade Seca sobre Rios

Com a parceria da Petrobras essas obras foram criadas pelo processo ininterrupto da Cia. em sua sede na rua Jaceguai, e puderam percorrer alguns lugares do Brasil e do Mundo. Na maioria deles carregando além da Obra de Arte Teat(r)al, uma aproximação Arquitetura Cênica da Obra de Arte Arquitetônica Urbanística criada por Lina Bardi – o 3º Teatro Oficina: Terreiro Elektrônico, sempre recriado para os mais diferentes espaços pelos Arquitetos cênicos Oswaldo Gabrieli, Cristiane Cortilio, Marilia Gallmeister e Carila Matzenbacher e Oficinas Uzynas Uzonas  de difusão de práticas e métodos de Criação da Companhia, junto aos artistas das cidades.

A parceria  Petrobras – Teat(r)o Oficina possibilitou à companhia a realização dos seguintes objetivos:

  • Estruturação artística;
  • Profissionalização;
  • Criação de repertório nacional antropófago;
  • Formação de espetáculos corais musicais – Óperas de Carnaval reconhecidas nacional e internacionalmente, por sua especificidade e originalidade.

[:en]Founded in 1958, Teatro Oficina went through the decades transforming itself in the present moment, both aesthetically and in the funding models of each era. The 60s were dominated by large audiences and Tuesday through Sunday shows in which the box office was the main source of income for artists and funding for shows. This cycle was interrupted by the military dictatorship that virtually criminalized the dramatic arts. The company was forced to go into exile in Europe and Africa and, upon its return to Brazil, encountered a completely different scenario for theatre. With no sponsorship and great vigor, several plays were staged that, although excellent, lacked technical and technological possibilities.

In 2005, Teatro Oficina Uzyna Uzona initiated a continual partnership with Petrobras, responsible for the sponsorship that provides maintenance of the companies headquarters and artistic core. Thanks to this sponsoring, the company was able to invest not only in equipment, sets and costumes for the productions, but also invest in its major capital: the actor, guaranteeing minimum conditions for their devotion to a continual theatre company.

In 2015, to celebrate a decade of sponsorship, the project carried out was OswaldianasTeato na Cidade Seca Sobre Rios, which consisted of three main branches: maintenance of the theatre; maintenance of the company’s artistic core; and the staging of the ritual-play “Mistérios Gozosos” (Joyful Mysteries), based on Oswald de Andrade’s poem “O Santeiro do Mangue”, by Zé Celso and Catherine Hirsch.

The mysteries of delight are urgent political and affective actions, this at a time of crisis when tension, anxiety and depression take over everything. To cross them, we must undertake a moist search, a TragiComic Orgiastic attitude, without ignoring for even a fraction of a minute the gravity of the situation. Crises beseech humor, love and much more in order to solve the problems at their root. That and extremely sensitive antennae.

 

3rd Dentition – 2016 – Teacher Training

Teatro Oficina Uzyna Uzona’s project for 2016, still in its recruitment stage, is a partnership with Petrobras aimed at maintaining the headquarters and the transdisciplinary artistic core that operates in this space, an inseparable work between architecture and performance.

The third dentition of the Anthropophagic University aims at operating within this space and at refining techniques in acting, dancing, singing, visual arts, video, costume design, directing, architecture and urban planning for the stage, politics, communication and philosophy, anchored in anthropophagy – one of the guidelines and also a concrete action towards all catastrophes in the age of the Anthropocene.

After the first two dentitions of the University, for which we held an open call for recruitment, and also after actions held by the groups of knowledge extensions for Anthropophagic transdisciplinary thought – Convênio Exemplar, X Bienal de Arquitetura and Terreyro Choreográfico –, the work has evolved and, for this third dentition, there will not be another open call. Faculty and student body will be composed by both the Company’s team members who have worked with the group for a long time and those who joined in after the open calls of the first and second dentitions. This project will focus on developing our work, as has always been the case, but also on enhancing our practice of knowledge transmission – a Master’s Degree of sorts in which artists, beyond the development of the Company’s aesthetic guidelines, will develop the ability to pass on that same knowledge.

The total amount of the sponsorship contract will be of R$ 800,000.00 (approximately USD$ 230,000.00).

All of the work that is planned to be carried out with Petrobras’ funding will cover six months of 2016, from June to December, and it includes:

1) Company’s headquarters maintenance

Duration: 6 months

Total amount: R$ 124,500.00 (approximately USD$ 36,000.00)

– Repair of damaged costumes, and stage and scenic architecture props;

– Cleaning, maintenance and repair of equipment;

– Structural repair at the headquarters;

– Leasing of production offices and warehouses, plus expenses.

2) Maintaining the Company’s artistic core, composed of 40 people

Duration: 6 months

Total amount: R$ 589,290.00 (approximately USD$ 170,000.00)

– Conduct daily body, vocal and performing studies and training, along with TV Uzyna’s cameras, all for the development and continuity of the Company’s language;

– Create studios for experimenting with techniques in performance, acting, dance, music, scenic architecture, video, lighting, costume design, sound engineering and sound design;

– Media relations and development of the Company’s strategy for announcing and promulgating its repertoire;

– Project formatting;

– General planning, production mapping for the year and fundraising.

3) Seminars, activities open to the public, publications

Duration: 6 months

Total amount: R$ 86,210.00 (approximately USD$ 25,000.00)

– 8 seminars – ritual-gatherings for the exchange of knowledge in all fields of the dramatic arts, inspired by Anthropophagy. The curatorship of the themes and the teachers of the seminars will also be linked to the Company’s preparation and staging in progress, and it will be carried out by each field of the Anthropophagic University, resulting in eight seminars in the areas of: acting, architecture and urban planning for the stage; music; lighting; sound design and sound engineering; film and video; stage management and communication.

– New edition of the newspaper “A Bigorna” (The Anvil), filled with content generated in the seminars, with a circulation of 1,000 copies, distributed for free in schools, libraries, theatre companies, and study groups.

The following works and projects were carried out with the support from Petrobras:

. 2005 – “Os Sertões – A Luta I”; by Euclides da Cunha (Rebellion in the Backlands – The Fight I)

. 2006 – “Os Sertões – A Luta II”; by Euclides da Cunha (Rebellion in the Backlands – The Fight II)

. 2007 – “Os Sertões – A Terra, O Homem I – do pré-homem à revolta; O Homem II – da revolta ao trans-homem; A Luta I; A Luta II” –tickets at cost for a run of the 5 part shows in São Paulo, Salvador, Recife, Rio de Janeiro and Canudos, with the recording and release of the DVDs (Rebellion in the Backlands – The Earth; The Man I – from pre-man to revolt; The Man II – from revolt to trans-man; The Fight I; The Fight II)

. 2008 – “Os Bandidos” (The Robbers), by Schiller;

. 2009 – “Cacilda !! – Estrela Brazyleira a Vagar”, by Zé Celso;

. 2010 – film editing of the DVDs for the launching of the Company’s 50th anniversary box: “Os Bandidos”, “Cypriano y Chantalan”, “Vento forte para um papagaio subir”, “Taniko”

. 2011 – “Macumba Antropófaga”, by Zé Celso, based on Oswald de Andrade’s “Manifesto Antropófago” (Anthropophagous Voodoo / Anthropophagous Manifesto)

. 2012 – “Acordes”; by Bertolt Brecht

. 2013 – “Cacilda !!! – Glória no TBC” and “68 AquiAgora”; by Zé Celso

. 2014 – “Cacilda !!!!! – A rainha decapitada”, by Zé Celso

. 2015 – “Oswaldianas – Teato na Cidade Seca Sobre Rios”

Thanks to the sponsor and partnership of Petrobras, these works were created during the Company’s uninterrupted creative process carried out at its headquarters at Rua Jaceguai, and they were able to reach other parts of Brazil and the world. In most of them, there was more to it than the dramatic arts’ work, such as an approximation of Scenic Architecture and Urban Architectural art work, created by Lina Bardi (Teatro Oficina’s 3rd headquarters): Terreiro Elektrônico is always recreated, for the most distinct spaces, by Scenic Architects Oswaldo Gabrieli Cristiane Cortilio, Marilia Gallmeister and Carila Matzenbacher; and also Uzyna Uzona workshops for the dissemination of the Company’s creative practices and methods, alongside artists of other cities.

The partnership between Petrobras and Teatro Oficina enabled the Company to achieve the following goals:

  • artistic structuring;
  • professionalization;
  • composition of a national anthropophagic repertoire;

staging of musical choral performances – Carnaval Operas nationally and internationally renowned for their specificity and originality.[:]