A TRANSIÇÃO DA ENERGIA FÓSSIL

À ENERGIA RENOVÁVEL

 

 

Fundada em 1958, a companhia Teat(r)o Oficina atravessou décadas sempre se transformando a partir do tempo presente, tanto esteticamente quanto nos modelos de financiamento de cada era. Os anos 60 se caracterizaram por muito público e espetáculos de terça a domingo, onde a bilheteria era a principal fonte de financiamento de artistas e espetáculos. Esse ciclo foi interrompido pela ditadura militar que praticamente criminalizou a arte teatral. A companhia foi obrigada a exilar-se na Europa e África e na volta ao Brasil, encontrou uma situação completamente diferente para a arte teatral.  Sem patrocínio e com muita garra, foram feitas muitas peças que, embora excelentes, deixavam a desejar possibilidades técnicas e tecnológicas.

Em 2005, o Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona iniciou uma parceria permanente com a Petrobras, responsável pelo patrocínio de manutenção da sede e do núcleo artístico da Companhia. Com o patrocínio a companhia pôde, além de investir em equipamentos, cenários e figurinos para as montagens, investir também no equipamento principal do teatro: o ator, dando condições mínimas pra se dedicar ao teatro numa companhia permanente.

 

As seguintes obras e projetos foram realizadas com a chancela Petrobras apresenta:

. 2005 – OS SERTÕES – A Luta I; da obra de Euclides da Cunha

. 2006 – OS SERTÕES – A Luta II; da obra de Euclides da Cunha

. 2007 – OS SERTÕES – temporada popular das 5 peças em São Paulo, Salvador,

 Recife, Rio de Janeiro e Canudos: A Terra, O Homem I – do pré-homem à

 revolta, O Homem II – da revolta ao trans-homem, A Luta I, A Luta II; gravação        

 das 5 peças e lançamento em DVD;

. 2008 – Os Bandidos, de Schiller;

. 2009 – Cacilda!! – Estrela Brazyleira a Vagar, de Zé Celso;

. 2010 – montagem dos DVDs da caixa comemorativa dos 50 anos da Companhia: Os

 Bandidos, Cypriano y Chantalan, Vento Forte para um Papagaio Subir, Taniko;

. 2011 – Macumba Antropófaga de Zé Celso (baseado no Manifesto Antropófago de

 Oswald de Andrade);

. 2012 – Acordes; de Bertolt Brecht

. 2013 – Cacilda!!! – Glória no TBC e 68 AquiAgora; de Zé Celso

. 2014 – Cacilda!!!!! – A Rainha Decapitada, de Zé Celso

. 2015 – Oswaldianas – Teato na Cidade Seca sobre Rios

 

Com a parceria da Petrobras essas obras foram criadas pelo processo ininterrupto da Cia. em sua sede na rua Jaceguai, e puderam percorrer alguns lugares do Brasil e do Mundo. Na maioria deles carregando além da Obra de Arte Teat(r)al, uma aproximação Arquitetura Cênica da Obra de Arte Arquitetônica Urbanística criada por Lina Bardi – o 3º Teatro Oficina: Terreiro Elektrônico, sempre recriado para os mais diferentes espaços pelos Arquitetos cênicos Oswaldo Gabrieli, Cristiane Cortilio, Marilia Gallmeister e Carila Matzenbacher e Oficinas Uzynas Uzonas  de difusão de práticas e métodos de Criação da Companhia, junto aos artistas das cidades.

A parceria  Petrobras – Teat(r)o Oficina possibilitou à companhia a realização dos seguintes objetivos:

  • Estruturação artística;
  • Profissionalização;
  • Criação de repertório nacional antropófago;
  • Formação de espetáculos corais musicais – Óperas de Carnaval reconhecidas nacional e internacionalmente, por sua especificidade e originalidade.

 

Somos muito gratos pela relação de completa liberdade de criação com a Petrobras, que nunca fez nenhuma objeção aos projetos apresentados pela companhia. Taís Reis, Regina Studart, Sérgio França e nos últimos anos, Milton Bittencourt, sempre conduziram com muita delicadeza nossos projetos.

 

 

FIM DE UMA ERA

 

No dia 19 de junho deste ano, recebemos a notícia do cancelamento desse patrocínio, que por 11 anos contínuos permitiu a prática e pesquisa constantes e a manutenção do espaço, o Teat(r)o Oficina.

Este ano mais de 40 projetos foram cotados dos incentivos da Petrobras. O orçamento da secretaria de cultura da cidade de São Paulo foi reduzido à metade. No Rio de Janeiro, as verbas de fomento ao teatro foram cortadas. Essas ações, em curso desde o ano passado, fazem parte de um desmonte que não atinge somente a cultura. Os cortes atingem áreas sociais como o reconhecimento de áreas quilombolas; fiscalização e proteção dos povos indígenas isolados; e também a Agência Nacional das Águas; universidades e institutos federais; a saúde… E com aprovação dos 20 anos de teto de gastos das Reformas da Previdência e Trabalhista, existe uma tentativa de desmonte do estado e mais do que isso, da vida humana. O golpe atinge diretamente os corpos.

 

O patrocínio da Petrobras foi fundamental para a continuidade da companhia, da estrutura do trabalho e do núcleo diretor que desenvolve a estética desse teatro de multidão – formado por aproximadamente 60 artistas entre atrizes, atores, diretores, diretoras, iluminadores, diretores de cena, arquitetos, videoartistas, produtores, núcleo de comunicação e mídia, figurinistas e músicos. A linguagem da companhia atinge máxima expressão nas óperas de carnaval – espetáculos com banda, longa duração em atuação direta com o público. São produções caras principalmente pela quantidade de pessoas diretamente envolvidas na produção.

 

Toda companhia permanente é necessariamente uma célula de formação artística, pois ao longo das décadas de trabalho, a renovação é constante. Muitas gerações de artistas se formaram aqui na companhia, que desde o início, trabalha com humanos de todas as idades. Interromper este trabalho é fazer um corte na formação de novas gerações de artistas dessa arte viva: o teatro.

 

 

CORDÃO DOURADO DE AMANTROCÍNIO

 

Em 2016, nós lançamos uma plataforma de financiamento coletivo, apta a receber doações mensais ou unitárias para a complementação do orçamento da companhia, que chega a R$2.700.000,00 anuais. Essa é uma ação da companhia em direção a uma relação mais direta com o público, para que se torne co-produtor do trabalho criando fundos como os grandes museus do mundo, onde já é constante o mecenato por pessoa.

Com o fim do financiamento da Petrobras, a valoração econômica, através do financiamento direto na plataforma se torna essencial para a montagem dos espetáculos. continuidade da pesquisa e para a manutenção de nosso acervo e do edifício, obra de arte tombada pelo COMPRESP, CONDEPHAAT e IPHAN, e considerado pelo crítico de arquitetura do The Guardian o melhor e mais intenso teatro do mundo, seguido pelo Epidaurus, na Grécia e pelo Grosses Schauspielhaus, em Berlim.

Nós chamamos todos os humanos possuídos de libido, com fome de vida, para formar esse cordão de amantes que co-produtor dessa arte viva que em 2018 completará 60 anos de atividades, sempre transformando a partir do eterno aqui e agora.

 

SEJA UM CO-PRODUTOR

teatroficina.org