Lendo

Programação das peças nas Dionisíacas Sampã

Programação das peças nas Dionisíacas Sampã

PEÇAS ABORDAM O TEATRO SOB DIVERSOS PONTOS DE VISTA

O primeiro espetáculo teatral a ser apresentado nas Dionisíacas pelo Uzyna Uzona acontecerá no dia 17 de dezembro (sexta-feira, às 20h). Trata-se de Taniko, o Rito do Mar, texto baseado em peça de Zen Chiko, dramaturgo da Cia. do criador do Teatro Nô japonês: Zeame. Numa recriação de Luis Antonio e José Celso Martinez Corrêa, esse rito foi transformado na primeira peça do Uzyna Uzona para crianças de todas as idades. Celebrando a viagem dos primeiros imigrantes japoneses ao Brasil, há 102 anos, criou-se o “Yoga Rebolado”, o “Nô Bossa Nova Trans Zen ikú”. O espetáculo é o inicio dos quatro dias de viagem carnavalescas-dionisíacas e dura 1h40.

O jovem ator Ariclenes Barroso interpreta o Cogata, como eram chamados os atores mais novos nas companhias de Nô no Japão antigo. Já a atriz Luisa Lemertz vive em cena Shité, a entidade mítica virtual do Nô, em contracena com seu oposto, o  Waki, que encarna as personagens da terra. Há também o coro de protagonistas de Iamabuches, “meditadores mochileiros”. Zé Celso interpreta Zeame, Célia Nacimento o Orixá Bunda Bundo e a Banda, dirigida pelo maestro, percussionista e ator Guilherme Calzavara, executa ao vivo a trilha sonora criada coletivamente por vários elencos, mas refinada musicalmente nesta versão.

CACILDA – No dia 18 de dezembro (sábado, às 18h) será a vez de Estrela Brazyleira a Vagar – Cacilda!!, segunda parte da maxi série teatral sobre a vida e obra da atriz Cacilda Becker, aqui em início de carreira, no mítico Rio dos cassinos, da vinda de Orson Welles para o Brasil, da Disney criando personagens para a política de boa vizinhança entre os EUA e a America Latina. Escrita e dirigida por Zé Celso e Marcelo Drummond, trata-se da mais recente obra da Cia Oficina – foi produzida no final de 2009 –, passeando pela história do Brasil na década de 1940, sob o ponto de vista de uma das maiores artistas brasileiras.

A atriz Anna Guilhermina vive a protagonista em diversas fases, dividindo o papel ainda com diversos atores da Cia Oficina. Esta peça leva à cena personagens importantes na criação da moderna cultura brasileira – e não somente no Teatro – como a própria Cacilda, Grande Othelo, Maria Della Costa, Ziembinski, Nelson Rodrigues, Procópio e Bibi Ferreira, Sergio Cardoso, Getulio Vargas, Jardel Filho, Zé Carioca, Pato Donald e Sônia Oiticica, entre muitos outros. Na “versão” que será apresentada em São Paulo, haverá ainda a presença de Eros Volusia, dançarina brasileira internacional falecida em 2004, hoje pouco conhecida ou lembrada, que será interpretada por Sylvia Prado.


View Dionisíacas em Viagem 2010 in a larger map

BACANTES – Já no dia 19 de dezembro (domingo, às 18h), o público vai viver sua catarse em Bacantes, peça que reconstitui o ritual de origem do Teatro em cantos e episódios, trazendo o rito de origem do teatro como religião e a sua mítica luta com adversários fundamentalistas judaico-muçulmano-cristãos. Toda a música foi composta por Zé Celso, nesta última tragédia grega conhecida – Bakxai (406 a.C.), de Eurípides. Bacantes é o maior sucesso do Teatro Oficina nestes 52 anos, tendo como intérprete de Dionísio o primeiro ator da Cia Oficina, Marcelo Drummond, que há 25 anos trabalha esta personagem.

Na peça, o Coro de Bacantes e de Satyros tem um papel importantíssimo, funcionando, como define o diretor, como “protagonistas corais e das entidades deste rito”. A atriz Anna Guilhermina interpreta Semelle, mãe de Dionísio; Vera Barreto leite faz a deusa Hera; o ator cubano Hector Othon faz Kadmos, o Governador de Tebas (como Fidel Castro nesta versão); o ator soteropolitano Fred Steffen interpreta Pentheu, o antagonista de Dionisi; Célia Nascimento vive Agave, sua mãe; as cantoras/atrizes Naomy Shoelling e Adriana Caparelli fazem suas tias; o ator pernambucano Anthero Montenegro faz o Narrador o ator paulistano Rodolfo Dias Paes faz o Comandante da Tropa de Elite de defesa de Pentheu e, estreando no Uzyna Uzona, o jovem ator Roderick Himeros faz Pã.

O Banquete, no dia 20 de dezembro (segunda-feira, às 19h) encerra as Dionisíacas com um “Banquete de Gala Orgiástico”. Criado e recriado por Sócrates, Platão e Zé Celso, numa ode ao amor, a montagem traz para a cena entidades míticas como Zeus, Hera, Eros, a deusa Embriaguez, Pênia e Jesus, reunidos numa festa promovida por um grande ator grego que acaba de encenar as Bacantes no Teatro de Extádio. Zé Celso versificou e musicou a peça com o guitarrista Rodrigo Jubeline.  A peça foi montada a convite do Festival de Zagreb, na Croácia, e em junho de 2009 iniciou temporada na capital paulista, com enorme sucesso de público. A encenação marca a comemoração final das Dionisíacas e é seguida de uma grande festa com o público, ao som da Banda Tigre Dente de Sabre www.myspace.com/tigredentedesabre), cujos músicos acompanham a turnê.

SERVIÇO:

Uzynas Uzonas – Oficinas/vivências artísticas gratuitas, realizadas por técnicos, produtores e artistas da Associação Teatro Oficina Uzyna Uzona. O objetivo é intercambiar experiências, conhecimentos e sabedorias com os artistas e técnicos de Sampã, em diversas áreas que fazem parte do jogo cênico: direção/atuação/música, sonoplastia, iluminação e direção de cena. As Uzynas Uzonas já estão acontecendo no Teatro Oficina. As inscrições permanecem  abertas,  bastando o candidato estar presente todos os dias (exceto às quintas-feiras), sempre das 15h às 21h, no Teatro Oficina. Os inscritos atuarão nos espetáculos das Dionisíacas entre os dias 17 e 20 de dezembro.  Tanto o ensaio geral quanto a participação durante as apresentações fazem parte das Uzynas Uzonas. Em Sampã, as oficinas darão uma especial atenção aos candidatos interessados em ingressar no time responsável pela Direção de Cena das Dionisíacas. Sob a coordenação da premiada e experiente Diretora de Cena Elisette Jeremias, o grupo exercerá uma importante função nas apresentações dos quatro espetáculos do projeto.

Taniko, o Rito do Mar – Espetáculo baseado em peça de Zen Chiko, dramaturgo da Cia. do criador do Teatro Nô japonês: Zeame. Numa recriação de Luis Antonio e José Celso Martinez Corrêa, esse rito foi transformado na primeira viagem dos imigrantes japoneses ao Brasil, na forma de um musical para o público de todas as idades. A peça narra uma viagem de iniciação, trazendo num barco o menino Kogata (Ariclenes Barroso). Ele arrisca-se ao deixar a mãe (Luiza Lemmertz) doente no Japão e seguir para o Brasil, sabendo da lei que estabelece deixar no caminho quem for tomado de exaustão ou ficar doente. Kogata revela não suportar o cansaço da viagem e exige que os companheiros o apunhalem e lhe joguem morto no mar, pois não quer morrer só. Cumpre-se o rito, apesar do Mestre Waki (Marcelo Drummond) tentar impedir. Depois do feito, apaixonado pelo discípulo, Waki invoca o poder de Zeame (Zé Celso), o criador do Nô, que os ajuda a tirar Kogata dos braços do mar.

Data: Dia 17 de dezembro.

Local: Teatro de Extádio – Montado ao lado do Teatro Oficina (Rua Jaceguay, 520, Bixiga. Tel: 11.3104-0678) Capacidade 2.000 lugares. Acesso para cadeirantes. Entrada pelo Teatro Oficina.

Horário: 20h.

Duração: 1h40, sem intervalo.

Ingresso: Gratuito (A produção pede a doação de 1Kg de alimento não perecível, brinquedos ou doces). Os ingressos serão distribuídos duas horas antes do início do espetáculo, na bilheteria do Teatro Oficina.

Recomendação etária sugerida: Livre para todas as idades.

Estrela Brazyleira a Vagar – Cacilda!! Segunda parte da tetralogia que narra a vida e a obra da atriz Cacilda Becker (interpretada pela atriz Anna Guilhermina), a peça dirigida por Zé Celso Martinez Corrêa fala sobre os bastidores do teatro brasileiro, na década de 1940, para traçar um painel da história do Brasil sob o ponto de vista de uma artista. Traz na sua dramaturgia a ascensão de Cacilda no teatro entre artistas da época, como Grande Othelo, Ziembinski, Maria Jacinta, Raul Roulien, Jorge Amado, Bibi Ferreira, Maria Della Costa e Sérgio Cardoso. Mostra ainda o encontro da geração de diretores como Ziembinski, Turkov, Wylli Keller, refugiados do nazismo, com a geração de Cacilda e o Teatro Experimental do Negro, criado por Abdias do Nascimento. 

 

Data: Dia 18 de dezembro.

Local: Teatro de Extádio – Montado ao lado do Teatro Oficina (Rua Jaceguay, 520, Bixiga. Tel: 11.3104-0678) Capacidade 2.000 lugares. Acesso para cadeirantes. Entrada pelo Teatro Oficina.

Horário: 18h.

Duração: 6h, com dois intervalos.

Ingresso: Gratuito (A produção pede que cada pessoa leve flores para que, durante a apresentação, seja feita a cena do defloramento da atriz Cacilda Becker, então com 20 anos). Os ingressos serão distribuídos duas hora antes do início do espetáculo, na bilheteria do Teatro Oficina.

Recomendação etária sugerida: 16 anos.

 

Bacantes – Uma das mais conhecidas – e polêmicas – obras do Teatro Oficina, Bacantes reconstitui o ritual de origem do Teatro em 25 cantos e cinco episódios. Com música composta por Zé Celso (que também assina a autoria e direção), a última tragédia grega conhecida – Bakxai (406 a.C.), de Eurípides –, é encenada como ópera de Carnaval para cantar o nascimento, morte e renascimento de Dionisio, deus do Teatro, do vinho, do Carnaval. O espetáculo mostra a chegada de Dionisio (Marcelo Drummond), filho de Zeus (Hector Othon) e da mortal Semelle (Anna Guilhermina), em sua cidade natal, TebaSP, que não o reconhece como deus. Trava-se o embate entre o prefeito de Tebas Penteu (Fred Steffen), filho de Agave (Cellia Nascimento), que tenta proibir a realização do Teatro dos Ritos Báquicos oficiados por Dionisio e o Coro de Satyros e Bacantes nos morros da capital Tebas, governada por Kadmos Fidel Castro (Hector Othon) – mudando para sempre a história daquela cidade. Com autoria e direção de Zé Celso, Bacantes teve sua primeira montagem em 1995, sempre atraindo multidões por onde passou. A nova versão foi lançada em 2009, pelo Sesc São Paulo. É a peça que inspirou a atual arquitetura do Oficina, dos arquitetos Lina Bo Bardi e Edson Elito, no Bixiga, em São Paulo, com sua fonte, jardim, teto-móvel e uma imensa janela que se abre para o céu e uma pista ladeada de arquibancadas.

Data: Dias 19 de dezembro.

Local: Teatro de Extádio – Montado ao lado do Teatro Oficina (Rua Jaceguay, 520, Bixiga. Tel: 11.3104-0678) Capacidade 2.000 lugares. Acesso para cadeirantes. Entrada pelo Teatro Oficina.

Horário: 18h.

Duração: 6h, com dois intervalos.

Ingresso: Gratuito (A produção pede a doação de 1Kg de alimento não perecível ou um brinquedo). Os ingressos serão distribuídos uma hora antes do início do espetáculo, na bilheteria do Teatro Oficina.

Recomendação etária sugerida: 16 anos.

O Banquete – Recriação do clássico diálogo de Platão sobre Eros, o Amor, o texto de Zé Celso é feito em forma de versos musicados. Agatão (Marcelo Drummond), grande ator grego, acaba de encenar as Bacantes no Teatro de Estádio e recebe seus convidados, entre eles os filósofos Sócrates (Zé Celso), Aristófanes (Rodolfo Dias Paes), Diotima (Camila Mota), Erixímaco (interpretado pelo ator pernambucano Anthero Montenegro) e o poeta Fedro (Lucas Weglinski) e Alcebíades (Fred Steffen), entre outros, para um banquete regado de vinho em sua casa onde vão cantar o Amor, Eros. Nesse ambiente, incorporam personagens da mitologia grega: Orpheu, Eurídice e Zeus; além de Jesus e Iemanjá. A peça foi montada a convite do Festival de Zagreb, na Croácia e em junho de 2009 iniciou temporada no Teatro Oficina. Durante a apresentação, o público tem a possibilidade de comprar (e beber) vinho oferecido pela produção.

Data: Dias 20 de dezembro.

Local: Teatro de Extádio – Montado ao lado do Teatro Oficina (Rua Jaceguay, 520, Bixiga. Tel: 11.3104-0678) Capacidade 2.000 lugares. Acesso para cadeirantes. Entrada pelo Teatro Oficina.

Horário: 19h.

Duração: 3h45, sem intervalo.

Ingresso: Gratuito (A produção pede a doação de 1Kg de alimento não perecível ou um brinquedo). Os ingressos serão distribuídos duas horas antes do início do espetáculo, na bilheteria do Teatro Oficina.

Recomendação etária sugerida: 18 anos.

Show da Banta Tigre Dente de Sabre – Ao final do espetáculo O Banquete, que encerra as Dionisíacas em São paulo, o público vai participar de uma grande festa ao som da banda paulista Tigre Dente de Sabre www.myspace.com/tigredentedesabre. O show, de uma hora de duração, será realizado dentro do próprio Teatro de Extádio, logo após o encerramento da peça. Os músicos da banda Tigre Dente de Sabre fazem parte dos atuadores em cena das quatro peças que compõem as Dionisíacas. Com um som que mistura música eletrônica e erudita numa linguagem contemporânea, os instrumentistas Guilherme Calzavara (bateria, trumpete, zaphoon e programações eletrônicas), Marcos Leite (baixo elétrico, sintetizador e programações eletrônicas) e Zé Pi (guitarra) fazem uma verdadeira “rave erudita”, num show dançante que marca em clima de festa a despedida das Dionisíacas. O show é aberto a todo o público que for assistir à peça O Banquete.

Com: Guilherme Calzavara (bateria, trumpete , zaphoon e programações eletrônicas), Marcos Leite (baixo elétrico, sintetizador e programações eletrônicas ) e Zé Pi (guitarra).

Data: Segunda-feira, dia 20 de dezembro.

Horário: Após a peça O Banquete.

Local: Teatro de Extádio – Montado ao lado do Teatro Oficina (Rua Jaceguay, 520, Bixiga. Tel: 11.3104-0678) Capacidade 2.000 lugares. Acesso para cadeirantes. Entrada pelo Teatro Oficina.

Ingresso: Gratuito para todo o público do Banquete.

Exposição Dionisíacas em Viagens – A mostra reúne nas paredes, corredores e portas do Teatro Oficina imagens, vídeos e instalações sonoras criadas por artistas, produtores e parceiros da Associação Teatro Oficina Uzyna Uzona durante os sete meses de turnê do projeto Dionisíacas em Viagem 2010. A exposição divide com o público – das entranhas para fora – o olhar de todos os participantes da turnê, revelando momentos íntimos de bastidores e recordações do processo de montagem dos Teatros de Extádios em Brasília, Salvador, Recife, Belém, Manaus, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. O trabalho registra também ritos e trocas vividas com as comunidades em cada uma dessas cidades, destacando ainda os diversos momentos políticos e poéticos vividos pela Associação ao longo do ano. Além da produção dos atuadores do Uzyna Uzona, a mostra oferece imagens dos fotógrafos oficiais das Dionisíacas: Renato Mangolin, Neander Heringer, Arthur Max, Lillah Halla, Nancy Mora e Carlos Filho (Cafi).  Curadoria de Alessandro Leivas, programação visual de Rodrigo Terra e edição de vídeos de Cecília Lucchesi. O roteiro da exposição leva ao oitavo Teatro de Extádio, construído no emblemático terreno do grupo Silvio Santos, ao lado do Teatro Oficina.  Abertura no dia 17 de dezembro, às 18h, no ritual de passagem para o início do espetáculo Taniko.

Data: De 17 a 23 de dezembro.

Horários: Abertura no dia 17/12, às 18h. Visitação aberta nos dias 18 e 19/12, das 11h às 16h, e entre os dias 20 e 23/12, das 11h às 19h.

Local: Teatro Oficina (Rua Jaceguay, 520, Bixiga. Tel: 11.3104-0678)

Ingresso: Gratuito

Show Macunaíma no Oficina – Ópera Baile – No palco do Teatro Oficina, as três únicas apresentações da cantora, compositora, instrumentista, arranjadora e produtora musical Iara Rennó investem em novas associações para o repertório do disco “Macunaíma Ópera Tupi”, realizado pela compositora exclusivamente com trechos de “Macunaíma – O Herói Sem Nenhum Caráter”, de Mário de Andrade. O show especial conta com arranjos de cordas de Arrigo Barnabé e Dante Ozzetti e reúne música, dança, vídeoarte assinada pela dupla Cinema de Mão (Ciça Lucchesi e Fred Siewerdt) com ilustrações de Tulipa Ruiz e colaboração de Zé Celso; e inserções teatrais com a atriz e cantora Thalma de Freitas e o ator Pascoal da Conceição, no papel de Mário Andrade. Gert Seewald assina cenografia e direção artística. O show será apresentado no Teatro Oficina, paralelamente à programação das Dionisíacas, nos dias 17, 18 e 19 de dezembro. Sexta, às 23h. Sábado, às 21h. Domingo, às 20h. Entrada franca.

Data: Dias 17, 18 e 19 de dezembro.

Horários: Sexta, às 23h. Sábado, às 21h. Domingo, às 20h.

Local: Teatro Oficina – Rua Rua Jaceguay, 520 – Bexiga. Capacidade 350 lugares. Acesso para cadeirantes.

Duração: 120 minutos

Ingresso: Grátis (Retirar ingressos uma hora antes na bilheteria do Teatro Oficina)

Sugestão etária: Recomendado para maiores de 12 anos.

Informações: (11) 3106-2818

Link da crítica sobre as Dionisíacas em BH:

http://teatroficina.uol.com.br/headlines/40 

 

Links de vídeos das Dionisíacas:

Bacantes no Recife: entrevista com o público de Peixinhos:

http://www.youtube.com/watch?v=c6F0JjvSd38&list=QL&playnext=1

Cacilda!! em Salvador: orgia de chocolate com o público:

http://www.youtube.com/watch?v=19m4t3Swgyk&list=QL&playnext=1

Entrevista com a atriz Camila Mota sobre as Dionisíacas:

http://www.youtube.com/watch?v=p2jTXY6YJ_o&list=QL&playnext=1

Taniko em Belém: Círio de Nazaré entra em cena:

http://www.youtube.com/watch?v=Hs77aVbJPVo

Dionisíacas em Salvador: montagem do Teatro de Extádio:

http://www.youtube.com/watch?v=gLrD7ZMWfQ0

 

 

O Teatro Oficina tem:

www.teatroficina.com.br

http://www.youtube.com/tvuzyna

http://twitter.com/teatroficina

http://qik.com/teatroficina

http://www.facebook.com/uzyna.uzona

http://blog.teatroficina.com.br/

 


Mitch Wishnowsky Womens Jersey