QUANDO QUEBRA QUEIMA

QUANDO QUEBRA QUEIMA

MARATONA 2018 AQUIAGORA

O Teat(r)o Oficina ativa o fogo de 2018 na rua Lina Bo Bardi
recebendo as forças do circuito elétrico eróticomagnético de re-existências da coletivA ocupação!

Na potência dos desejos de transmutação dos corpos, pensamentos, gozos, átomos: roçar as línguas
no fogo de vida
cosmopolítica!

IÁ! COLETIVA!
gira a roda viva!

Depois da nossa estréia-nascimento continuamos ocupando outros espaços

QUANDO QUEBRA QUEIMA
no TEAT(R)O OFICINA
AQUI AGORA!
JUNHO DE 2018

CONFIRME PRESENÇA! 

SERVIÇOS | quando quebra queima
coletivA ocupação
1º semana: 16 e 17 de junho
2ª semana: 23 e 24 de junho
Horário: SAB Y DOM às 19H 
Ingressos: 
R$ 30 inteira 
R$ 15 meia (estudantes, aposentados, professores e artistas).
R$ 10 morador do Bixiga
R$ 0 secundaristas
Local: Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona (Rua Jaceguai, 520, Bixiga)
Tel bilheteria: (11) 3106-2818
coletivaocupacia@gmail.com

 

CRIAÇÃO

Abraão Santos / Alicia Esteves / Alvim Silva / Ariane Fachinetto / Beatriz Camelo / Gabriela Fernandes / Ícaro Pio / Leticia Karen / Lilith Cristina /Marcela Jesus / Matheus Maciel / Mel Oliveira / André Dias de Oliveira / Heitor de Andrade / Martha Kiss Perrone / Mayara Baptista

QUANDO QUEBRA QUEIMA é uma peça construída por estudantes que viveram o processo de ocupações e manifestações do movimento secundarista em 2015 e 2016. Frutos da primavera secundarista, 14 corpos insurgentes deslocam para a cena a experiência dentro das escolas ocupadas, criando uma narrativa coletiva e comum a partir da perspectiva de quem viveu intensamente o cotidiano dentro do movimento.

Ocupando o tempo presente a ColetivA provoca de maneira pulsante o universo que compõe esse movimento que transformou o corpo e vida de todos que participaram.

COLETIVA OCUPAÇÃO

A ColetivA Ocupação é um encontro entre entre estudantes, artistas e performers de diferentes regiões de São Paulo, que se conheceram durante as ocupações entre 2015 e 2016. A partir dessa experiência, a luta secundarista seguiu por vários espaços e ganhou diferentes formas e desdobramentos – o teatro e a performance foi uma delas. Durante as ocupações, o grupo viveu intensamente o que é pensar e agir através do corpo e a performance como ferramenta de combate.
A ColetivA, no seu dia a dia de encontro e investigação, busca tecer outras relações, na vida interna do grupo e com o mundo.

vamos ocupar as escolas
vamos ocupar as ruas
vamos ocupar os teatros
vamos ocupar as universidades
vamos ocupar as narrativas

OCUPAÇÃO • TEAT(R)O • SECUNDARISTAS • COLETIVA • RUA • CORPOS • MÚSICA • PULA • PULA MURO • PULA CATRACA • DANÇA • QUEIMA • CANTA • CORO • QUEBRA • PERFORMANCE • FESTA • LUTA • ABUSADAMENTE • QUEBRA • PULSÃO • PRETA • FALA • FALA MOVIMENTO • CORPO QUE MOVE • BEIJASSO • SARRADA • MIGA SUA LOKA • ATO • MULTIDÃO • GASOLINA • MULHERES • COLETIVA • LUTA
QUANDO QUEBRA QUEIMA!


COMMENTS ARE OFF THIS POST