Lendo

Sinopse e Histórico da Macumba Antropófaga 2012

Sinopse e Histórico da Macumba Antropófaga 2012

A revelação da Caixa Preta do tesouro aberto por Oswald de Andrade com o Manifesto Antropófago começa na pista do próprio Teatro Oficina, onde a Macumba Antropófaga 2012 tem início. De lá, o público segue para pelas ruas do bairro em ação peripatética, onde convocam Cacilda Becker em frente ao TBC, que recebe em seu corpo Tarsila do Amaral e vai ao encontro de Oswald de Andrade, acordado no edifício onde escreveu seu Livro Testamento “Um Homem Sem Profissão – Sob as Ordens de Mamãe”. Contracenando com o céu aberto, prédios, ruas e moradores do Bexiga até chegar pela própria semente da “OFICINA DE FLORESTAS”, na Rua Santo Amaro, um Pomar muito bem cuidado pelo Grupo Silvio Santos, para semear o O TEATRO DE ESTÁDIO O.A. num Tótem nascido dos escombros do que foi destruído no entorno do OFICINA e depois ao restaurante TROCA-TROCA ENTRE TERRENOS. TARSIWALD e o CORO DE TUPYS conduzem então a Multidão, para o CIRCO para, sem rede de segurança, criarem juntos o instante inaugural da paixão, com a experiência da grande noite de amor que inspirou a criação do livro-comida “MANIFESTO ANTROPÓFAGO” e o quadro “ABAPORÚ” – o Homem que Come o Homem – a partir da imagem de OSWALD nu.

MACUNAÍMA, vivido por Roderick Himeros, e o CORO de TUPINAMBÁS, formado por mais de 40 artistas atuadores (músicos, atores e atrizes, dançarinos, vídeo makers), fazem baixar MANDÚ SARARÁ (Mariano Mattos Martins), o MURUBIXABA (Wilson Feitosa), a MÃE DOS CRACOS (Vera Barreto Leite) e a ARTE EDUCADORA (Naomy Schölling), entre muitos outros. PAGÚ baixa na atriz Camila Mota, que vive também a Iracema dos lábios de mel e leva com seus beijos ANCHIETA para o Céu: o TEAT(R)O, onde ele – e a multidão – encontra-se com as (e os) 11 mil virgens reinantes na MOMOARQUIA do Bori Banquete do MANIFESTO = LIVRO “MANIFESTO ANTROPÓFAGO” DE CARNE ANIMAL E VEGETAL servido a todos no final.

HISTÓRICO – A Associação Oficina Uzyna Uzona realizou sempre com inéditas interpretações, sua primeira encenação dessa obra em 2008, no SESC Paulista, nas comemorações dos 80 anos do Manifesto Antropófago. Em 2010, durante as viagens das DIONIZÍACAS pelo Brasil, o grupo encenou sua segunda dentição do Manifesto após uma semana de residência artística no INSTITUTO INHOTIM, em Minas Gerais, relacionando o trabalho com a natureza e o MAGIC SQUARE #5, praça criada por Helio Oiticica. Em março de 2011 teve início o processo da terceira dentição, preparando a MACUMBA ANTROPÓFAGA URBANA para ser encenada no aniversário dos 50 ANOS TEAT(R)O OFICINA, no própria TEAT(R)O e em seu ENTORNO, as Ruas do BIXIGA.

Depois da experiência adquirida com as oficinas do Bexigão no processo de montagem de “OS SERTÕES”, entre 2002 e 2007, e em todas as cidades que o grupo visitou com as DIONIZÍACAS em 2010 e 2011, foram abertas as inscrições para a primeira turma da UNIVERSIDADE ANTROPÓFAGA PAGÚ FLÁVIO DE CARVALHO, que integra o projeto do ANHANGABAÚ DA FELIZ CIDADE – com o TEATRO DE ESTÁDIO OSWALD DE ANDRADE, a CRECHE “A VERDADE NA BOCA DAS CRIANÇAS” e a OFICINA DE FLORESTAS, para o Reflorestamento do BIXIGA. A “Macumba Urbana Antropófaga” estreou em 16 de agosto de 2011 mesclando atuadores da Cia OficinaUzynaUzona e membros da 1ª Turma da Universidade Antropófaga, de todas as áreas. A temporada se estendeu até novembro do mesmo ano, com enorme sucesso de público, representando o início concreto do MOVIMENTO CRIAÇÃO DO ANHANGABAÚ DA FELIZ CIDADE.

Agora a MACUMBA ANTROPÓFAGA 2012 vem para comer os obstáculos no FIM DA IDADE MYDYA ANALÓGICA DEVASTADORA, como em todo Planeta, que impedem O RENASCIMENTO MUNDIAL NA ECONOMIA VERDE por exemplo, ralentando, ou mesmo tentando impedir a TROCA TROCA ENTRE TERRENOS NO ENTORNO DO OFICINA e a materialização de desejos, ambições que nascem, se transformam e renascem em mais de 50 voltas em torno da TERRA. O TEAT(R)O CIRCO OFICINA vira o grande canteiro de obras para revirar vontades concretas, unindo o chão do Sertão da Cidade com a Estratosfera Sideral Antenada nos Satélites dos Astronautas Artistas num novo Espaço Teatral, criado a partir da contribuição milionária de todos os erros – e desejos: O ANHANGABAÚ DA FELIZ CIDADE É A ESTAÇÃO DE UM ESTRATOPORTO.